Poema da compreensão

By | 24 de setembro de 2017

Tenho em mim a flor de luz
Que trazes, igual à minha,
No teu mundo oculto.
Falhas tenho, tu as tens também…
São espinhos que se fazem em nós,
Marcando imperfeições humanas.

Não olhemos, por favor,
Marcas de lodo
Salpicadas sobre a flor.
Esqueçamos o mal do julgamento.
A vida é breve como a lágrima
Que cai!
E eterno é o entendimento
Que existe, quando nossas flores
De luz criam abraços de pétalas,
Na linguagem da compreensão.

Se esqueceres os meus defeitos
E eu olvidar as tuas falhas,
Teremos a Paz do céu
No coração.
(Luiz Goulart)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *