Featured Article


Assista mais

Um Novo Prometeu

Dia 30 de julho de 2018
Aniversário de nascimento de
Helena Petrovna Blavatsky
Patrona de nossa Coluna da Verdade

Hoje nossas almas estão em festa, com a lembrança da passagem em nosso planeta de uma luz dourada que veio, como a estrela de Belém, abrir caminhos para nos libertar da ignorância, que nos escravizava à “letra morta” dos ensinamentos ocultos. Eram mal interpretados, sempre de acordo com os interesses de religiões dominantes.
Blavatsky nos revelou as chaves para interpretar a Sabedoria Eterna, rompendo o lacre dos Mistérios, uma forma de olharmos a nossa origem de um modo diferente, libertos do “pecado original”, da grande culpa, do medo do inferno, da esperança de merecer o céu; reacendeu o Sol da compreensão em nosso mundo interior.
Seus ensinamentos vieram iluminar cada palavra sagrada, que antes dela pareciam sem sentido e hoje podemos conviver com um firmamento maravilhoso de descobertas sobre a grandeza do ser humano.
O nascimento de “Mamãe Helena”, como carinhosamente a chamamos, é um divisor de águas: Antes dela, o ser humano era desprovido de uma oportunidade em ampla escala de aprender sobre sua origem espiritual. Mas isso custou a ela muito sofrimento. Em sua biografia encontramos um fato que confirma o que dizemos:
Enquanto escrevia a grande obra A Doutrina Secreta, ficou muito doente e estaria impossibilitada de prosseguir. Seus Orientadores, aqueles Senhores que lhe confiaram a missão, lhe perguntaram se ela preferia morrer e cessar suas dores, ou aceitaria que lhe curassem para continuar a escrever. Escolheu continuar, mesmo sabendo que passadas as dores físicas, viriam as dores morais. Foi como se um novo Prometeu roubasse a luz (o fogo sagrado) do Olimpo, o céu de Zeus. Mas ela foi muito além da Mitologia grega. Abriu para nós as portas dos céus, além de Zeus, de Brahman, de Jeová, de Alá, de Osíris, de Júpiter, de Odin, de Baal, de Oxalá …
Hoje todas as moradas dos deuses estão abertas às nossas almas e ao nosso entendimento. Blavatsky foi a mártir moderna de nossa iluminação!
Que as bênçãos de “Mamãe Helena” estejam sempre presentes em nossas vidas.
Paz e Cristo!
Maximo Ribera

Há de Passar

Lucia Magalhães

Passada a grande dor,
É hora do silêncio.
O olhar vagueia
Pelos longes:
No espaço agora enevoado
Há o convite da Vida,
A caminhar.

Esperança e cuidado
Se misturam
A uma sincera vontade
De acertar…

Para pensar o sentimento
Ainda dolorido,
Um só cuidado:
Nem para trás,
Nem para o lado!
Seguir em frente,
Com a luz do Alto
Vibrando o Amor!
– É Lá que a Alvorada
Desses novos dias
Vai brilhar,
Com todo ardor.

O Caminho do Coração

 Há uma companhia inevitável para aqueles que escolhem o Caminho do Coração: a Dor. Almas a caminhar pelo mundo, teremos tantas vezes a túnica encharcada de pranto e nos lembraremos do Nazareno, em nossa aflição. Encontraremos o Gólgota, nesta nossa vida de iniciantes, em busca de Sabedoria. Ao escolhermos o Caminho do Coração, chegamos à Iniciação pelo Amor – e este é o caminho do Cristo. Continue reading

O Paraíso será verdade?

Neste tempo em que a alma Ocidental mais vibra com a fraternidade, que tentamos dar uma pausa nos conflitos e trocamos presentes, votos de boas festas, de feliz ano-novo, aproveitemos para um exame de consciência sobre o que fizemos pela paz.
Sem muitos detalhes, vamos corrigir alguma coisa. Se a paz morar em nosso coração, por contágio será passada para nossos amigos e irmãos. Não precisamos de atitudes heroicas; basta um exercício de tolerância. Nas menores relações de nosso dia a dia podemos marcar pontos com nossa alma e respirar a alegria de ter vencido uma discussão simplesmente calando a boca, vencido uma disputa difícil cedendo espaço. Continue reading

Emanação

Vamos praticar a concentração. Aprender a entrar em nós mesmos, deslocando-nos a outras dimensões, para não participarmos de certos instantes de confusão geral. Assim, economizamos células nervosas e não atrapalhamos nosso semelhante. Quem não discute, evitando desavenças maiores, está cuidando da própria Humanidade.
Ao se concentrar, o Homem não só restabelece o seu sistema nervoso, pela revitalização que lhe dá o Eu Vital, como também retransmite a outros ondas de Saúde, Paz e Felicidade.
Quando nos alheamos por uns instantes, entramos em sintonia com um poder restaurador que nos torna um transmissor de benefícios ao próximo.
Um ser concentrado é um cálice que se abre à divindade. Só os homogêneos se unificam. Só o que é próprio do Amor gera Amor.

(Luiz Goulart)